• Black Facebook Icon
  • Black Instagram Icon
  • Black YouTube Icon

Fazenda São José de Guapiaçu  s/nº – Guapiaçu 
Cachoeiras de Macacu – RJ
CEP 28.680-000

Fale conosco

Criativamente desenvolvido por Conticom Comunicação Integrada

A primeira fase do projeto GGV foi finalizada no ano de 2015, superando todas as expectativas.

Foram plantadas 180.000 mudas de 200 espécies da Mata Atlântica para reflorestar 100 hectares, gerando 39 empregos diretos. Após dois anos e meio de muito trabalho no plantio, na manutenção da área e no controle de pragas, virou uma floresta consolidada.

 

Os números de pessoas envolvidas e capacitadas são surpreendentes:  Mais de 6.846 estudantes foram envolvidos nas atividades de educação ambiental, incluindo visitas escolares e dias de campo. Foram 144 horas de capacitação de professores, incluindo Oficinas e Cursos práticos e teóricos. Mais de 1.252 professores envolvidos em visitação escolar, seminário e capacitação. Também foram mobilizadas 713 lideranças comunitárias, por meio da democratização da informação e do planejamento ambiental estratégico.

 

REFLORESTAMENTO

A Reserva Ecológica de Guapiaçu é hoje uma das maiores restauradoras de ecossistemas ambientais do Estado do Rio de Janeiro. Destaca-se neste cenário com 240 hectares de áreas restauradas e 370 mil mudas plantadas, desde o ano de 2004.

Durante os anos de 2013 a 2015, por meio do projeto Guapiaçu Grande Vida, a REGUA plantou mais 100 hectares. Este plantio encontra-se ainda em fase de manutenção e hoje já é possível observar árvores com mais de três metros de altura. Além disso, observamos todo o restabelecimento dos processos ecológicos envolvidos no desenvolvimento de uma floresta.

Este ano o patrocínio da Petrobras voltou e a REGUA já começou a plantar, mais 60 hectares de áreas degradadas de encosta e beira de rio, áreas essas que foram avaliadas como estratégicas do ponto de vista ecológico.

Estas áreas destinadas para a restauração estão inseridas em uma região onde as paisagens se contrastam entre fragmentos florestais remanescentes, agricultura e agropecuária. E assim, formarão um grande corredor ecológico, promovendo a ligação entre fragmentos florestais maduros existentes no entorno. Nossa expectativa é a de que a área reflorestada cumprirá o papel de aumentar o tamanho do fragmento florestal, bem como diminuir os efeitos da fragmentação, sobretudo os efeitos de borda, sobre a biodiversidade local e regional. Além disto, irá cumprir o papel de manutenção e conservação dos recursos hídricos, faunísticos, florísticos, edáficos e geológicos que delas fazem parte.

Todas as espécies florestais que serão utilizadas são nativas da Mata Atlântica e as mudas serão produzidas no viveiro da REGUA, com material genético (sementes) coletado na própria reserva.

reflorestando a mata atlântica
plantando mudas da Regua
reflorestadores em campo
área reflorestada da mata alântica
 

CAPACITAÇÕES

O projeto Guapiaçu Grande Vida também atuou na formação e atualização de profissionais da educação, além de outras pessoas da região. Houve diversos cursos com públicos distintos. Nesse sentido, as metodologias de aulas foram empregadas, tais como: aulas teóricas, palestras, atividades de campo, trilhas orientadas e visita a instituições públicas de atuação ambiental, como Unidades de Conservação e Pesquisa.

A carga horária das capacitações totalizou 268 horas. Desse total, 100 horas contemplaram 20 condutores de trilha; 80 horas para 160 professores; 48 horas que atenderam 32 trabalhadores rurais e 40 horas para 45 monitores ambientais.

GGV_FormaturaCursodeCondutores_15dez18_T
GGV_CursoSupervisores_15mar18_NathalieHo
 

PROGRAMA PILOTO DE MONITORAMENTO DE RECURSOS HÍDRICOS

Nessa versão do projeto Guapiaçu Grande Vida uma das novidades é o Programa Piloto de Monitoramento dos Recursos Hídricos (PPMRH). Essa é uma abordagem em educação ambiental inovadora para a região. O PPMRH consiste na seleção de jovens estudantes da rede pública, sua capacitação e atuação como monitores ambientais. As atividades compreendem coletas e análises de água em 12 pontos distintos em três rios de Cachoeiras de Macacu, são eles: rio Boa Vista, Guapiaçu e Macacu. Os pontos foram determinados sempre um antes e outros após uma ocupação urbana, de acordo com o sentido do rio.

As coletas de água foram realizadas com frascos (300ml). Além disso, era verificada a temperatura da água, do ar e das características visuais do rio, como presença de mata ciliar, peixes, odor e plantas aquáticas. Após a coleta nos 12 pontos, o grupo de monitores ambientais do PPMRH, junto da equipe Guapiaçu Grande Vida, se encaminhava para o laboratório do Ginásio Público 479 Dr. Mário Simão Assaf para a realização das análises. Ao total, são avaliados 21 parâmetros. Dentre eles temos o pH, a Demanda Bioquímica de Oxigênio (DBO), Ortofosfato, Oxigênio Dissolvido (OD), Nitrito, Nitrato e Amônia.

Nesse momento, ao observar as peculiaridades do entorno, é possível relacionar tanto o uso do solo como a urbanização com os aspectos visíveis dos rios. Por exemplo, a ausência da Mata Ciliar estava relacionada a rios que apresentavam um elevado grau de assoreamento.

 
monitorando e analisando a água dosris Guapiaçu, Macacu e Boa Vista
Equipe coletando água para análise
Testando a qualidade de água

Inauguração da trilha interpretativa Grande Vida foi um sucesso em Cachoeiras de Macacu

No dia 25 de setembro, ocorreu a inauguração da trilha interpretativa Grande Vida, a primeira com trecho adaptado para portadores de necessidades especiais do município de Cachoeiras de Macacu.

A iniciativa de criar a trilha de educação ambiental, estendendo às pessoas com deficiência, permitindo a contemplação da Mata Atlântica, é do projeto Guapiaçu Grande Vida, realização da Reserva Ecológica de Guapiaçu (REGUA), com o apoio da Prefeitura de Cachoeiras de Macacu e patrocínio da Petrobras.

A trilha recebeu placas de interpretação ambiental em todo o seu percurso, o que possibilita aos professores, condutores e visitantes trabalharem diversos conteúdos em uma área reflorestada. Ela tem extensão de 1.400 metros com grau de dificuldade leve. Existem pontos definidos para paradas e abordagem de temas relevantes, identificados pelas placas de sinalização específicas e algumas ferramentas de educação, como o terrário.

A trilha foi parcialmente adaptada para que seja possível sua utilização por pessoas portadoras de necessidades especiais. O objetivo é promover a inclusão social de pessoas com deficiência por meio de atividades de educação ambiental e do contato com a natureza. Sendo assim, possibilitando visitas de pessoas com deficiência atendidas por entidades assistenciais para assistir a palestra, visitar o viveiro de mudas e participar de um roteiro de visitação em uma trilha adaptada com estrutura para deficientes visuais, físicos e pessoas com transtornos mentais. A trilha foi inaugurada mas sua implementação deverá seguir ao longo dos próximos anos, essa melhora contínua.

A experiência na trilha Grande Vida terá momentos distintos com o grupo de visitantes (estudantes) com apresentação sobre a REGUA e o projeto, visita ao viveiro de mudas, e então percorrer a trilha, onde serão realizadas atividades educativas e lúdicas.

O evento contou com a presença de mais de 100 pessoas, e com representantes de parceiros, da Petrobras, da Prefeitura e de instituições assistenciais como a Associação Pestalozzi. 

Quer saber mais sobre a REGUA e o projeto Guapiaçu Grande Vida? Visite nossas redes sociais: www.ggvbr.org, @ggvbr no Facebook, e @guapiacugrandevida no Instagram.

 
trilha adaptada para cadeirantes e deficientes
trilha adaptada com jardim sensorial
GGV maquete do solo trilha adaptada
Cadeirantes fazendo a trilha adaptada
Placas de interpretação ambiental da trilha GGV
visita a Reserva Ecológica de Guapiaçu em Cachoeiras de Macacu no Rio de Janeiro

VISITE A REGUA

O agendamento para visitação escolar deverá ser realizado por meio de correio eletrônico aos cuidados de Ana Carolina Moreira no seguinte endereço: anac@ggvbr.org

O agendamento para visitação turística deverá ser realizado por meio de correio eletrônico aos cuidados de Thomas Locke no seguinte endereço: thomas.locke@hotmail.com 

A visitação escolar é oferecida em uma trilha interpretativa que funciona como uma sala de aula viva. O percurso tem início no viveiro da REGUA. Na sequência entramos em um reflorestamento implantado há 12 anos. A partir daí tem início a abordagem de temas interdisciplinares, como ciclo da água, a importância de bioindicadores, biodiversidade, solos e temas correlatos.

 

Utilizamos um método estruturado em fluxos de aprendizado, denominado "Aprendizado Sequencial" para trabalhar com a sensibilidade das pessoas e com as complexas relações humanas provenientes das mesmas. Vislumbrando sempre a possibilidade de proporcionar as pessoas experiências profundas com a natureza a partir de sua estratégia de ensino, que consiste na escolha adequada de atividades lúdicas, como dinâmicas e jogos, a serem desenvolvidas em áreas naturais protegidas. O método é direcionado perante uma sequência de quatro estágios – entusiasmo, atenção, experiência e inspiração – desenvolvidos de forma sutil, gradativa e divertida, com a intenção de criar um fluxo de energia, que vá de um estado de maior agitação para um estado de maior concentração da atenção e envolvimento.

Seguem algumas orientações para o dia da visita

  • roupas confortáveis, que não prendam os movimentos

  • obrigatório o uso de sapatos fechados e confortáveis

  • chapéu ou boné para dias muito quentes

  • garrafa ou squeeze para água

  • mochila pequena de costas, é importante que as mãos fiquem livres, principalmente no caso de trilhas

  • filtro solar e repelente (opcional)

  • câmera fotográfica (opcional)

  • caderno de campo (opcional)

  • medicamento individual, caso utilize com frequência

visita a Reserva Ecológica de Guapiaçu em Cachoeiras de Macacu no Rio de Janeiro
visita a Reserva Ecológica de Guapiaçu em Cachoeiras de Macacu no Rio de Janeiro
Mudas dos viveiros da Reserva Ecológica de Guapiaçu em Cachoeiras de Macacu no Rio de Janeiro
 
Mudas dos viveiros da Reserva Ecológica de Guapiaçu em Cachoeiras de Macacu no Rio de Janeiro